2 Pesos 2 medidas

Essa frase é bem usada quando querem colocar em pauta a injustiça.

Segundo o dicionário on line: Dois pesos e duas medidas é uma expressão popular utilizada para indicar um ato injusto e desonesto, sem o uso de imparcialidade ou isenção de juízos pessoais.

Todos os dias o face tem postagens e comentários que  são muito elucidativos e de muita clareza. Ajudam no esclarecimento do assunto citado e contribui e muito para todos nós.

Porém existem pessoas que se apegam a uma frase tirando do contexto original interpretando a sua maneira e passam a criticar quem postou e quem comentou…

Mas será que a regra imposta para criticar uma postagem é a mesma regra para todos? Ou existe privilégios?

O Facebook e as mídias sociais são livres e podemos exercer nosso direito de livre expressão.

Como a internet é terra livre. Cada um posta o que bem entende. E cabe a cada um, ter o bom senso de não prejudicar quem quer que seja.

Será que temos esse bom senso?

Eu mesmo já postei textos e vídeos polêmicos. Defendendo sempre o que eu acredito. Assim como pessoas postam o que acreditam.

Agora minha pergunta, somos criadores de conteúdo e defensores de uma religião ainda crescente, sou contra brincadeiras que denigre o nome da religião no todo, mesmo tendo liberdade de expressão,  por tanto, podemos criar polêmicas referente a religião?

Para mim as polêmicas devem ser criadas em ambiente interno, onde membros de uma mesma religião, terreiro ou instituição podem chegar a um denominador comum e posteriormente colocar para apreciação do público.

Lançar um polémica publicamente ref. a um grupo ou outro só trará mais desunião no meio umbandista.

Posto sim o que eu acredito e defendo, sou contra brincadeiras que denigrem a religião ou uma entidade.

Sou contra pessoas que te seguem no face ou onde for só para te criticar, se não gosta deixe de seguir, é tão simples.

Sou contra pessoas que instigam nos meios a desunião, sou contra quem se diz o dono da verdade.

Respeito sim nossos mais velhos, respeito sim nossa ancestralidade e o que faço não acredito denegrir a Umbanda.

Denigre a Umbanda quem se intitula o dono da verdade e se acha absoluto.

Denigre a Umbanda quem promove a desunião em nome da União, usando o nome de nossos mais velhos.

Respeito demais a tradição e não acredito também em pais de santo fabricados.

Paulo Ludogero

18/01/2017